terça-feira, 9 de agosto de 2016

O Multiverso em Perigo - Parte I

Caso tenha esquecido como o Multiverso começou, ele nasceu apenas 2,3519780712 segundos após o Acaso, também conhecido como Acaso Tenebrosamente Tenebroso. Em seguida, então, veio o Supremo Desconhecido Absoluto e, finalmente, o Caos se instalou. Daí pra frente, nunca mais ninguém descansou.
Principalmente, porque, tempos depois, houve o chamado desbalanço. Foi o terrível momento em que a harmonia entre o Acaso Tenebrosamente Tenebroso, o Supremo Desconhecido Absoluto e o Caos entrou em colapso e ameaçava destruir todo o multiverso.
O Anjo Auxiliar entra correndo na sala do Arcanjo Khanagem, dizendo:
- Chefe! Chefe, veja isso! Leia o que está publicado no Diário Oficial do Universão de hoje!
- Que celeuma toda é essa, Anjo Auxiliar?
O Arcanjo Khanagem pega a publicação e lê:

Decreto nº 5%¢¢/*@!78, da data celestial 15*∞
O G.E.D.U., no uso de suas atribuições definidas por lei,
CONSIDERANDO a iminente aproximação do desbalanço entre o Acaso Tenebrosamente Tenebroso, o Supremo Desconhecido Absoluto e o Caos;
CONSIDERANDO que tal evento pode culminar na extinção de todo o multiverso; e
CONSIDERANDO que as forças celestiais são as únicas que podem trazer de volta a harmonia necessária;
DECIDE:
Art. 1: Criar o Grupo Especial de Trabalho para o evitamento da destruição de todo o multiverso;
Art. 2: Este Grupo deverá ser composto por todos os Anjos, Arcanjos e Demônios;
Art. 3: Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
G.E.D.U., o Grande Encarregado do Universo.
Publicado na Secretaria do Governo Celestial, em 15*∞.

            O Arcanjo Khanagem se senta na cadeira, olhando o Anjo Auxiliar profundamente nos olhos.
            - E agora, chefe? – ele pergunta.
            - E agora? – repete Khanagem.
            Os seres celestiais, então, entraram em pânico, pois nunca haviam visto esse desbalanço em toda sua existência. Exceto, claro, Khanagem e o próprio G.E.D.U., nenhum deles havia sido testemunha da tragédia multiversal que aquele acontecimento trazia consigo. A não-existência não era algo familiar aos seres celestiais, já que, uma vez que tivessem injetado em si, em sua criação pelo G.E.D.U., o sopro da divindade, a morte lhes era inconcebível.
            - E não tem como usar o dom de onisciência para prever o que acontecerá? – questionou o Anjo Auxiliar.
            - Não desta vez. – respondeu o Arcanjo Khanagem. – nosso dom não tem efeito sobre o Acaso Tenebrosamente Tenebroso, o Supremo Desconhecido Absoluto e o Caos. Estamos à mercê dos próximos acontecimentos, praticamente às cegas. Uma das raras vezes que isso nos acontece.
            - O que dá mais medo ainda! – completou o Anjo Auxiliar.
            - Sim, já que não estamos muito acostumados com imprevistos. – finalizou Khanagem.
            Houve, então, o grande encontro que reuniu os mais poderosos seres celestiais. Até Tanás estava com eles, momento em que toda a ajuda era necessária.
            - Que bom te ver, Khanagem! – disse o demônio.
            - Só te vejo em casamentos e velórios. E, claro, nas datas de ameaça de destruição do Multiverso! – brincou Khanaghem.
            - E pensar que os humanos enxergam o fim do mundo com a luta final entre anjos e demônios! – filosofou o Anjo Auxiliar.
            Todos continuavam apreensivos pelo início do encontro, que seria presidido pelo G.E.D.U. Até aquele momento, pouquíssimos tinham tido a chance de contemplar sua essência, o que dirá ouvir sua voz.
            Ele finalmente chega à Grande Ala de Encontros e todos se levantam em sinal de respeito. Com um sinal, pede que tomem seus assentos, e começa a falar:
            - O tão terrível evento chegou. Eu pressentia sinais de que isso fosse ocorrer há eras, mas, aos poucos, conseguia contê-los. Infelizmente, porém, a pressão foi aumentando cada vez mais, e meu poder, sozinho, não é mais o suficiente para evitar a destruição de tudo o que conhecemos. Khanagem?
            - Qual é seu plano para impedirmos isso?
            - Só há um modo: cada um de nós terá de ceder parte do Sopro Divino Fundamental para tentarmos restabelecer o balanço. – respondeu o G.E.D.U.
            - Tentarmos? – perguntou Khanagem.
            - Sim, tentarmos. Todos sabem a importância que o Sopro Divino Fundamental tem em nossas existências, mas é a única chance que temos. Percebam que já existe uma perigosíssima mudança na frequência de algumas dimensões mais fracas e subdesenvolvidas, fazendo com que seus seres pereçam. A mais poderosa das dimensões, claro, é a nossa, mas isso não impedirá que seja o último bastião de existência, até que colapse totalmente. – explicou.
            - Só tem um problema, G.E.D.U.! – interrompeu Tanás!
            - Pois é, até sei qual é esse problema! – respondeu o G.E.D.U.
            Todos sabiam que o Sopro Divino Fundamental do Demônio Tanás tinha sofrido uma inversão de compatibilidade para que ele pudesse reinar no mundo das trevas e pudesse se diferenciar dos demais anjos. Por conta disso, ele teria de passar por um demorado (e dolorido) processo de ajustamento de compatibilidade, o que poderia deixá-lo, na melhor das hipóteses, como um anjo normal.

E agora? O que será do nosso querido Multiverso? Será que o corpo celestial vai nos livrar da eterna destruição?


Confira, semana que vem, a continuação desta emocionante história!

3 comentários:

  1. Não recairá a esperança do universo sobre os ombros de um cero mano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria impossível, inimaginável e improvável! =D

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir